top of page
Buscar
  • Foto do escritorejav-usp

Timpanismo e práticas nutricionais em bovinos

Atualizado: 6 de jul. de 2021


 

Autor: Beaztriz Minozzi


O timpanismo é caracterizado pela dilatação anormal do rúmen e do retículo por retenção excessiva de gases da fermentação, podendo acarretar em um quadro de dificuldade respiratória e circulatória, com asfixia e morte do animal.


Esse distúrbio metabólico pode ser dividido em dois tipos: o simples (ou “gás livre”) e o espumoso. No timpanismo simples, o gás está presente como camada gasosa e pode ser causado tanto por produção excessiva de gás no rúmen, principalmente CO2 e metano, quanto por obstrução da cárdia e esôfago. Já no timpanismo espumoso, o gás existe como bolhas em espuma líquida que impede a passagem do gás e pode ser causada por fatores dietéticos, microbianos e animais.

O timpanismo gasoso é, geralmente, secundário à ingestão excessiva de grãos na dieta. Isso promove a produção de grandes quantidades de ácidos graxos voláteis (AGV), o que reduz o pH ruminal e facilita o desenvolvimento de bactérias produtoras de ácido lático. Esse ácido, por ser mais forte que o AGV, leva a uma diminuição cada vez maior do pH ruminal, causando à morte de grande parte dos microrganismos, além de que parte dele é absorvido, gerando acidose metabólica no ruminante.


O timpanismo espumoso pode ser a causa de morte em 1% dos bovinos confinados, sendo que estes têm maiores chances de desenvolver essa doença devido a acentuada ingestão de leguminosas frescas de alta digestibilidade sem adaptação ou ingestão de dietas ricas em grãos ou algumas forragens, por exemplo alfafa e trevo, já que ocasiona menor produção de saliva e consequentemente maior produção de espuma. O bicarbonato salivar é importante para neutralizar os ácidos ruminais e para manter o pH ruminal a níveis que não promovem a formação de uma espuma estável com base na desnaturação das proteínas solúveis.


Além disso, o excesso de concentrado (alimentos com baixo teor de fibra e alto valor energético) permite que bactérias ácido-tolerantes, como o Streptococcus bovis, se proliferem e produzam quantidades excessivas de mucopolissacarídeos, aumentando a viscosidade do fluido ruminal e estabilizando, assim, a espuma presente no timpanismo espumoso.


Dessa forma, as maneiras indicadas para se evitar essa doença são: a utilização de leguminosas com estado avançado de maturidade, aumento da proporção de fibra na forragem madura, murchamento das pastagens para corte e evitar a excessiva moagem de grãos.




FONTE:


Posts recentes

Ver tudo

Gripe aviária: minha ave corre perigo?

A gripe aviária, ou influenza aviária, é uma doença causada por um vírus do tipo Influenza e afeta tanto aves domésticas como selvagens, e pode ainda acometer, menos frequentemente, mamíferos, incluin

Perdas gestacionais na produção de Suínos

A perda gestacional ou abortamento pode ser caracterizado pela expulsão fetal, com consequente morte desse, antes do período de término de gestação, que no caso dos suínos dura em torno de 112 à 116 d

Comments


bottom of page