Buscar

VACA HOLANDESA: QUAIS SÃO AS CARACTERÍSTICAS E AS PRÁTICAS DE CRIAÇÃO?

A criação de vaca Holandesa no Brasil representa uma grande oportunidade para os produtores que desejam trabalhar com produção de leite. Contudo, para que possamos ter os resultados esperados, é fundamental tomarmos alguns cuidados específicos. Entenda mais sobre essa raça bovina.


Quais são as características da vaca Holandesa?


A vaca Holandesa está entre as raças de gado leiteiro com maior representatividade no Brasil. Passou a ser conhecida pela maior produção de gordura e proteína o que, impacta principalmente, em maior lucratividade.

Visualmente, a vaca Holandesa também é fácil de reconhecer, a raça possui características marcantes em relação à produção de leite e sua pelagem, os animais são malhados de preto-branco ou vermelho-branco.

A principal qualidade da raça Holandesa é a sua extraordinária capacidade de produzir grandes volumes de leite. Somado ao volume, é importante destacar que o período de lactação dessa vaca é longo, se comparado a outras. Não é à toa que há uma demanda crescente em todo o mundo.

O maior volume de leite produzido consegue diluir os custos fixos da atividade leiteira proporcionando maior lucratividade. Quanto à qualidade do leite e ao volume de gordura e proteína, ela conta que isso resulta em um maior rendimento no processamento, o que aumenta o valor pago pelo litro de leite vendido pelo produtor.


Quais são as práticas essenciais para a criação de vaca Holandesa leiteira?


Alimentação de qualidade, vacinas em dia e um espaço adequado são apenas o começo. Há diversos aspectos que devem ser considerados na criação da vaca Holandesa. Os cuidados envolvem processos como:

  • manejo na ordenha

  • nutrição

  • reprodução

  • sanidade

  • bem-estar

Esses cuidados são essenciais para a manutenção das vacas produtivas no rebanho e, consequentemente, maior produção e o retorno econômico esperado. A nutrição, por exemplo, tem grande influência nos lucros do negócio, já que impacta a saúde do animal e sua capacidade produtiva.


Tendo em vista os aspectos destacados anteriormente, outras práticas essenciais também são importantes:

  • fornecer suplementação de carboidratos, proteínas, minerais e vitaminas que suportem o potencial produtivo;

  • disponibilizar água de qualidade, conforto e bem-estar ao animal;

  • fornecer aditivos nutricionais que preservem a saúde e estimulem o sistema imune dos animais. Esses aditivos, por exemplo, maximizam a digestão e a absorção de nutrientes.


Dessa maneira, é possível promover um ambiente mais saudável e adequado para a vaca Holandesa, além de garantir que o retorno sobre o investimento seja otimizado, reduzindo o custo de produção e os gastos com antibióticos, por exemplo.


Texto por: Helena Martos Romboli