Treinamento de cão-guia


Primeira etapa

A primeira etapa na formação do cão-guia é a seleção do cachorro, seguindo critérios genéticos e comportamentais. As raças mais usadas são labrador, golden retriever, pastor alemão, boxer e o collie de pêlo longo ou curto. Essa fase é caracterizada pela observação dos filhotes a fim de identificar os animais com boa saúde, bom temperamento e espírito de liderança.

Antes de iniciar o período de treinamento em si, o cão precisa ser socializado. Então os filhotes são recebidos por famílias voluntárias que conduzirão um processo de educação inicial. Como funciona na prática? A família leva o animal a todos os locais que frequentam: shoppings, transporte público, parques, escritórios, entre outros. O objetivo é acostumar o cão a enfrentar as situações do cotidiano. Após esse período, o cão retorna para a escola e a família pode habilitar-se para receber um novo filhote.


Fonte: https://portaldoscaesegatos.com.br/cao-guia/

Acesso em 2 de julho de 2021.


Fase de treinamento

Assim, o cão entra agora na fase de treinamento, que é centrada no treino diário por profissionais especializados, que ensinam ao animal comandos necessários para que consiga guiar uma pessoa com deficiência visual: desviar de obstáculos, identificar degraus, parar nas guias, entre outros. O cão deve seguir um rígido plano todos os dias para que se acostume com as dificuldades se mantendo focado. Ele passa a usar uma guia (um tipo de “colete” com alça rígida) que serve para que o usuário possa dar os comandos. O cachorro assimila que esse acessório indica que está trabalhando e, ao retirar a guia, o condutor indica que o animal está liberado para se comportar como um pet.

Ainda na etapa de treinamento, é feita a escolha do futuro tutor. Essa escolha é muito personalizada, ou seja, cada cão é indicado para o usuário, respeitando as características comportamentais de ambos. É feito uma análise criteriosa de compatibilidade, podendo comparar a união cão-guia e cego praticamente com um casamento arranjado. Se a pessoa é mais agitada e anda depressa, será preciso um cão com características semelhantes.



Fonte: https://www.cachorrosbrasil.com.br/blog/historias/cao-guia-para-cegos-uma-forma-especial-de-enxergar-o-mundo/

Acesso em 2 de julho de 2021.


Período de adaptação

Depois da etapa do treinamento, o cão-guia passa pelo período de adaptação com o novo tutor. Essa última fase do treinamento é o “processo de transferência”, o cão e a pessoa com deficiência visual passam por treinamentos para alinhar o ritmo e a convivência de ambos, aprendendo a fazer a leitura da comunicação corporal: enquanto o cão aprende a receber os comandos; o indivíduo aprende a fazer a leitura corporal do cão, a seguir os movimentos do animal. Após a adaptação, os novos companheiros seguem sozinhos, porém, é feito o acompanhamento periódico com o treinador para eventuais ajustes que sejam necessários.



Referências:

http://www.iris.org.br/

https://super.abril.com.br/mundo-estranho/como-sao-treinados-os-caes-guias-de-cegos/










5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo