Doar sangue pode salvar vidas

A doação de sangue salva muitas vidas de animais que estão em perigo por conta de situações inesperadas e perigosas, como picada de cobra peçonhenta e atropelamento.


Fonte: https://www.diariodaregiao.com.br/_conteudo/2018/12/vida_e_estilo/pets/1131914-caes-e-gatos-tambem-doam-sangue.html

Acesso em 3 de julho de 2021.


O doador canino ideal

Características do doador:

  • Ter idade entre 1 a 8 anos, com peso acima de 28kg

  • Ser vacinado anualmente contra as doenças infecciosas da região, como:

  1. Raiva

  2. Cinomose

  3. Hepatite infecciosa

  4. Leptospirose

  5. Parvovirose

  6. Coronavirose

Na maioria dos bancos de sangue veterinários, o intervalo entre as doações é de 2 a 3 meses. Além disso, os cachorros podem doar sangue a cada 3 a 4 semanas, caso tenham a nutrição balanceada e na quantidade adequada.


Fonte: https://www.emergency-live.com/of-interest/a-dog-donates-his-blood-to-save-a-puppy-how-does-a-dog-blood-donation-work/

Acesso em 3 de julho de 2021.


O doador felino ideal

Características do doador:

  • Ter idade entre 2 e 8 anos, com peso acima de 4,5 kg e tamanho proporcional

  • Preferencialmente machos, pois são maiores

  • Vacinado anualmente contra doenças infecciosas da região:

  • FIV

  • FeLV

  • Negativas para PIF


O temperamento do felino não é importante, pois a maioria dos gatos, de modo geral, é anestesiada ou sedada para que ocorra a doação de sangue. Porém, por comodidade, um temperamento mais dócil facilita o processo.

Os gatos podem doar a cada 2 a 3 semanas se o hematócrito (porcentagem de hemácias no volume total de sangue) estiver normal. Entretanto, a dieta desses felinos deve ser suplementada com ferro.


Como é feito o manejo?

Primeiro, é importante ressaltar que a presença do tutor é fundamental para que o animal se acalme, uma vez que o procedimento pode assustar um pouco, porém não dura muito tempo e não machuca o seu pet.

Muitos cuidados devem ser tomados durante o procedimento para que ocorra de garantir a segurança e o bem-estar animal. Para a coleta, é interessante que o animal esteja em jejum de 12h, e o profissional deve realizar assepsia adequada antes do procedimento. Além disso, deve-se fazer pressão no local da punção venosa após a doação num intervalo entre 2 e 5 min para acelerar o processo de coagulação. Deve-se observar o animal após a doação por 15 a 30 minutos, procurando sinais de hipotensão, fraqueza, mucosas pálidas e pulso fraco.

Caso necessário, uma soroterapia (com solução salina ou soluções cristalóides similares) é feita para reposição do volume doado.

Após a doação, o animal deve receber ração industrializada e água, além de evitar exercícios físicos intensos por alguns dias.


Referências

Manual of Canine and Feline Haematology and Transfusion Medicine.

Programa de Doadores da UFRGS






3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo